Mas de novo?

“Life can only be understood backwards; but it must be lived forwards”
– Søren Kierkegaard

Um dia desses alguém me perguntou se eu estava indo viajar de novo. Apesar de querer responder que sim, a próxima viagem ainda era só um plano. Conversa vai, conversa vem, não ficou claro pra nenhum dos dois se essas viagens eram só uma tentativa desesperada de recordar boas memórias ou retomadas de um processo mais importante de evolução.

A partir disso, em mais um episódio da série, tentando entender de onde viemos, porque viemos e para onde vamos, comecei a procurar alguma frente filosófica para tentar simplificar e responder essa pergunta, mesmo que só para mim.
Entre mergulhadas no existencialismo e frustrações sobre determinismo, eu entendi que importante mesmo é tomar bastante água e comer verduras.
Peguei as memórias que tenho de viagens e revirei tudo buscando identificar padrões. Li e reli coisas escritas há anos atrás. Tentei até criar categorias, não deu bom.

Passado alguns dias, ainda na mesma corrida mas agora bem mais hidratado, parece que acabei encontrando algo. Søren Kierkegaard, um cara dinamarquês de família nobre, disse lá em 1800 e bolinha que há três estágios na vida; o estético, o ético e o religioso, que não seguem necessariamente uma ordem cronológica temporal.
No estágio estético nós buscamos o prazer imediato. Em alguns casos, a possibilidade de realização chega a ser até mais gratificante do que a própria realização. Esse conceito é interessantíssimo e é muito bem explicado no livro O Poder do Hábito. Sabe aquele papo de falar pra todo mundo que começamos a dieta, que parece que já nos livra da culpa de comer um bolo de chocolate?

No estágio ético seguimos leis morais, respeitamos regras para uma melhor vida em comunidade e em família. Sentimos uma espécie de cumprimento do dever. Fico pensando se a Dinamarca em 1800 e pouco era tão interessante quanto o Brasil em 2019 em termos de estruturas econômicas, políticas e sociais. Pensando bem, essa é uma comparação ridícula que nem deveria ser levantada aqui, talkei?
No estágio religioso é onde se tem a realização do indivíduo. Aqui, diferente das razões e crenças do Kierkegaard, tomei a liberdade de interpretar como um direcionamento que vem de dentro, uma espécie de senso (menos comum do que deveria) que nos permite entender o que é bom ou ruim e agir de acordo.

Isso tudo parece muito interessante e me deu uma certa base de argumento, mas o que mais me chamou atenção foi a sua ideia sobre a repetição.
Repetição é escrita “gentagelsen” em dinamarquês, e eu fui tentar entender o significado original dessa palavra com uma ajudinha da internet. Uma combinação de “tage” que significa “levar, pegar, tomar” com um prefixo “gen“, do advérbio “igen” que significa “de novo”. “Gentagelsen” significa, em tradução livre, “levar de novo”.
Idioma é uma coisa doida, né? Agora imagina eu, dotado de um português mediano, tentando traduzir e entender esse negócio. Deveria ter parado na parte das verduras.

Dependendo de como você vive essa repetição, ela pode ser entendida como uma maldição ou uma bênção. Eu prefiro entendê-la como uma bênção, como uma chance de ganhar consciência sobre a minha essência e chegar mais perto dessa tal realização.
Seja viajando ou fazendo qualquer outra coisa mais de uma vez, a repetição, que chamo carinhosamente de tentativa, sempre foi algo muito frequente na minha vida. “Mas você não pode abraçar o mundo e testar todas as possibilidades,” meu melhor amigo me diz sempre que nos vemos. Acredito que em cada tentativa há um processo de rever lições aprendidas, e dessa forma eu afunilo esse mundo de possibilidades. E com essas repetições eu pulo de galho em galho, de estágio em estágio, até encontrar algo que posso chamar de um eu marromeno realizado.
Eu só tenho uma regra, o processo precisa ser intenso e divertido. E parece que está sendo.

Dizem que um homem não cruza duas vezes o mesmo rio, mas sortudo mesmo é o Belchior que não vai repetir o ano passado. Ah, e por acaso, se alguém souber de alguma passagem barata, me avise!


Processando…
Sucesso! Você está na lista.

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s